A base governista na Câmara dos Deputados está desesperada para aprovar a PEC 32, a Reforma Administrativa, o mais rápido possível na Comissão Especial (CE) criada para debater a medida.

Por outro lado, a mobilização dos trabalhadores do Serviço Público e dos parlamentares de oposição oferece grande resistência ao governo, que quer passar o rolo compressor sobre o funcionalismo, seus servidores(as) e a população que necessita desses serviços.

Depois de adiar por várias vezes as reuniões para aprovação do relatório final da PEC 32, a base aliada tentou aprovar a PEC 32 nesta quarta-feira, 22.

Expulsão e indignação

Presentes na Câmara Federal desde a manhã desta quarta, militantes da base da Fenasps e de outras entidades sindicais, que possuíam autorização da segurança parlamentar para ficarem no recinto, foram expulsos dos corredores onde ocorreria a reunião da CE às 15h30min.

Primeiro vieram as ameaças, depois os militantes foram obrigados a se retirar dos corredores das comissões, um espaço que normalmente é de livre acesso aos que possuem autorização, sendo posteriormente alocados em uma sala distante de onde a reunião deveria ocorrer, sem qualquer possibilidade de se manifestarem democraticamente contra a PEC 32. Um absurdo!

A luta continua!

Mesmo com todas as tentativas de cercear as manifestações dos trabalhadores(as), a Fenasps e as demais entidades representantes dos servidores público federais seguirão na luta até que a PEC 32 seja derrubada por completo.

Não aceitaremos emendas em um projeto tão cruel com o funcionalismo público e com a população brasileira. Devemos lembrar a todos os parlamentares que votarem a favor da Reforma que os servidores(as) públicos(as) não esquecerão nas eleições de 2022!

Em novo texto, protocolado às 16h20min desta quarta, 22, o relator Arthur Maia retirou da PEC 32 o art 37-A que permitia a terceirização dos serviços públicos, mas manteve os dispositivos de contrato temporário para todos os cargos, perda de direitos dos servidores e possibilidade de redução de jornada e salário em 25% (agora condicionado a descumprimento de limite da Lei de Responsabilidade Fiscal). Confira AQUI a íntegra do novo texto da PEC 32. Ou seja, a mobilização deve continuar!

“Não tem emenda, não tem arrego. Se votar na PEC, acabou o seu sossego!“: militantes das entidades nacionais entoam palavras de ordem contra os parlamentares da Comissão Especial da PEC 32. 

Manifeste-se você também!

Faça você também a sua parte! Envie mensagens para os deputados(as) por meio das plataformas ‘Na Pressão‘ e ‘Observatório‘. É hora de todos nos unirmos em defesa do Serviço Público!

Sem luta, não há conquista!

Veja AQUI fotos e vídeos da manifestação dos servidores.

Fonte: Fenasps

Comments fornecido por CComment