Os servidores do Ministério da Saúde dos Estados Paraná, Espírito Santo e Minas Gerais,  que paralisaram as atividades suspenderam a greve, após compromisso do Ministério em autorizar a compensação do período de paralisação – podendo ser feito por horas ou mutirão.

O compromisso foi firmado em reunião em que participaram o secretário-executivo adjunto do Ministério da Saúde, Marcus Vinicius Dias, e a coordenadora-geral de Gestão de Pessoas do Ministério (Cogep/MS), Danielle Magalhães com a Fenasps, no dia 8 de junho.

A exemplo das negociações ocorridas na greve do INSS e no Ministério do Trabalho, nas quais houve o reconhecimento formal do direito de greve, foi aplicada a Instrução Normativa SGP/SEDGG/ME nº 54, de 20 de maio de 2021. O Ministério da Saúde fará devolução dos valores descontados, bem como suspender quaisquer descontos referentes à greve da categoria realizada a partir de 23 de março de 2022.

O Comando Nacional de Mobilização da Fenasps encaminhou o Ofício nº 109/2022, solicitando a instalação dos grupos de trabalho ou comitês, para tratar das questões específicas da categoria que não impliquem em impactos financeiros.

Apesar da greve não ter conseguido paralisar atividades em todo o País, o movimento dos servidores e servidoras do Ministério da Saúde foi importante porque recolocou na ordem do dia a pauta dos(das) trabalhadores(as). É urgente que os sindicatos mobilizem a base, em todos os Estados, para fortalecer a luta pelas reivindicações.

Fonte: Fenasps 

Comments fornecido por CComment