0
0
0
s2smodern

José Campos Ferreira, ex-diretor da Fenasps e diretor do Sindisprev/RS

Não há como contar a história do nosso movimento e celebrar os 30 anos de fundação, ou transformação das associações dos servidores do velho Simpas, dos sindicatos sem homenagear o protagonismo dos colegas de Santa Catarina.

Para mim a Associação de Santa Catarina, hoje Sindprev/SC, sempre foi um modelo a se ter como referência.

Se é verdade que o Rio Grande do Sul está com Santa Catariana, Paraná, Goias e Minas Gerais nos primeiros passos das nossas lutas no início dos anos 1980, só em Santa Catarina se verificava uma combinação de combatividade e perspectiva política integrando as lutas especificas dos servidores do IAPAS, INAMPS e INPS com as lutas gerais da classe trabalhadora.

Era o movimento de Santa Catarina que apontava a necessidade de combinar a luta pela melhoria dos nossos salários com a necessidade de derrubar a ditadura e participar do processo de democratização do Brasil trazendo, com isso, a tarefa de construir uma entidade nacional que levasse a nossa luta a todo país – a Fenasps – e uma central sindical independente dos patrões – a CUT. O companheiro Luis Fernando Silva é sem dúvida a síntese desse momento e com o nome dele queremos prestar tributo a centenas de colegas que, em Santa Catariana, deram seu trabalho, dedicação, inteligência e amor à causa de todos nós. Sem esses companheiros, nosso movimento teria sido menor e, com certeza, não teria conquistado a importância e respeito que angariou naqueles anos e que ainda hoje nos alimentam.

Ao movimento de Santa Catarina, que o Sindprev/SC representa, coube ser um dos principais pilares na conquista das 30 horas e na gratificação de 100% a título de antecipação sobre o Plano de Cargos Carreira e Salários da categoria, o PCCS – que ainda é hoje a principal reivindicação da nossa categoria.

Um pilar que segue firme e que, em torno de colegas como o Valmir Braz, buscou se renovar e fortalecer investindo na integração de novos colegas e ideias, se recolocando novamente como uma referência a ser seguida, ainda que o façamos com métodos diferentes.

Há muito a lembrar, reconhecer e celebrar, mas o mais importante é dizer que contamos com Santa Catarina para seguir construindo e fortalecendo o nosso movimento, dando spaço aos colegas novos, aprofundando a representatividade das nossas entidades e sabendo que o novo sempre vem.

:: Esse conteúdo faz parte da edição comemorativa da Revista Previsão - Especial 30 anos ::

Comments fornecido por CComment